Destaques

Opinião

PremiumA escolha de uma liberdade

A projeção pública da nossa atividade, sobretudo quando, como é o caso da política profissional, essa atividade é, ela própria, pública e publicamente financiada, envolve uma certa perda de liberdade com que nunca me senti confortável. Não se trata apenas da exposição, que o tempo mediático, por ser mais veloz do que o tempo real das horas e dos dias, alargou para além da justíssima sindicância. E a velocidade desse tempo, que chega a substituir o tempo real porque respondemos e reagimos ao que se diz que é, e não ao que é, não vai abrandar, como também se não vai atenuar a inversão do ónus da prova em que a política vive.

Adolfo Mesquita Nunes

PremiumPenalizações antecipadas

Um estudo da OCDE publicado nesta semana mostra que Portugal é dos países que mais penalizam quem se reforma antecipadamente e menos beneficia quem trabalha mais anos do que deve. A atual idade de reforma é de 66 anos e cinco meses. Se se sair do mercado de trabalho antes do previsto, o corte é de 36% se for um ano e de 45%, se forem três anos. Ou seja, em três anos é possível perder quase metade do rendimento para o qual se trabalhou uma vida. As penalizações são injustas para quem passou, literalmente, a vida toda a trabalhar e não tem como vislumbrar a possibilidade de deixar de fazê-lo.

Marisa Matias

Pensas que estás na barraca onde vives?

No outro dia, uma professora perguntou isto à minha filha, que tem 12 anos e está no 6º ano. "Pensas que estás na barraca onde vives?" Ela contou-me, ao jantar, olhar crítico, mas descontração saudável, que tanto me descansa. "Achas bem, mãe?" Primeira (e estúpida) reação minha: "O que é que fizeste para a professora perguntar isso?" Ela, com aquele ar incrédulo dos pré-adolescentes: "Só estava torta na cadeira, mãe. Achas bem uma professora perguntar isso?"

Catarina Pires

Praguejar é um alívio

"Puta que pariu..." De todas as asneiras do vernáculo português, esta é a minha preferida. Não é a que gritamos quando nos salta a tampa, não é para este sítio que mandamos alguém que se atravesse à má fila num cruzamento quando o sinal está verde para nós. Esta é a que deixamos escapar de mansinho, entre dentes, acompanhada de um abanar de cabeça quando estamos desapontados com o mundo, quando olhamos para a cagada que acabámos de fazer por entornar a água toda do esparguete em cima da bancada, quando reparamos que há 35 pessoas à nossa frente na fila das Finanças ou quando percebemos que, apesar de serem oito e meia da manhã, já não há mais senhas para renovar o Cartão de Cidadão.

Paulo Farinha

Os troncos de Doha

Como tudo no Qatar, atravessa-se algum deserto para lá chegar. E o Centro Nacional de Convenções de Doha, nos arredores da capital do emirado, não escapa a esse destino de saltar do fundo da areia e ficar a pairar como uma verdadeira miragem arquitetónica sobre a paisagem. Quando se o vê pela primeira vez fica-se como aqueles saloios que se deslumbram com maravilhas nunca vistas no seu território, é que ao aproximar-se da enorme estrutura descobre-se que está apoiada em dois grandes troncos.

João Céu e Silva

Insider

Conheça o gadget que vai substituir o triângulo de sinalização em Espanha

Chama-se Help Flash e é dispositivo de emergência projetado para substituir os triângulos que os condutores são obrigados a colocar na estrada. É uma situação frequente. Uma distração depois, um toque no carro inicia os procedimentos de acidente de viação. Na verdade, o número de acidentes aumentou em Portugal durante 2018 - foram registados 132.378 desastres nas estradas portuguesas, mais 2.170 do que no ano anterior. É precisamente para estas situações que uma startup espanhola criou o sistema Help Flash. O novo dispositivo de emergência vai substituir os triângulos refletores que os condutores são obrigados a colocar quando são protagonistas num acidente [...]

"Recebi um GameBoy e fiquei doido". Diogo Valsassina revela os hábitos tecnológicos

Presente dado pelo pai abriu-lhe as portas para o mundo dos videojogos. Agora parte comandos da PlayStation com frequência. Diogo Valsassina, 32 anos, é uma das caras mais conhecidas da televisão portuguesa. Ficou conhecido com a sua interpretação na novela juvenil Morangos Com Açúcar e desde então já participou em inúmeros produções nacionais. Veja também | Os hábitos tecnológicos do "escravo do iOS" Nuno Markl Além da representação, tem um "fraquinho" pelos videojogos e há um bom motivo para isso. Na rubrica Hábitos Tech, Diogo revelou à Insider quais são as suas preferências no mundo da tecnologia e começa logo por [...]

Google quer subir às nuvens para ser player 1 nos jogos… mas há desafios a enfrentar

Por nuvens entenda-se um serviço de streaming que quer confiar nas capacidades da cloud em vez do equipamento. E já há respostas de reação dadas pela concorrência. Pela primeira vez, a Google marcou presença com uma apresentação própria na Gamers Developer Conference, evento para o mercado profissional dos jogos. O serviço de streaming Stadia viu a luz do dia, com demonstrações feitas no momento e com a presença de gigantes da indústria de jogos como a Ubisoft ou a iD Software na plateia. Ao entrar neste mercado, a Google vai a jogo numa indústria global, onde os milhares de milhões não são gerados apenas pela venda de jogos - também [...]

"A tecnologia ao serviço das empresas melhora eficiência sem prejudicar o planeta"

Conferência da BCSD Portugal junta especialistas para falar dos desafios das sociedades sustentáveis já na próxima segunda-feira, no auditório EDP, em Lisboa. Falámos com o responsável do organismo que quer tornar as empresas mais sustentáveis e... lucrativas. Está em funções há alguns meses, desde novembro de 2018, e quer mostrar às empresas porque devem apostar na sustentabilidade para atraírem talento, clientes e criarem novas áreas de negócio. João Wengorovius Meneses, que passou pelo governo atual como secretário de Estado da Juventude (saiu em desacordo com o ministro da Educação), é o secretário geral do BCSD Portugal (Business Council for Sustainable [...]

Ver Tudo

O método Desperdício Zero de Bea Johnson

“Por definição, quanto menos temos, menos temos de guardar, limpar e manter.” A ideia de Bea Johnson – que graças ao seu livro e conferências se tornou numa espécie de guru da reciclagem – parece simples. Mas num mundo em que estamos habituados a acumular bens, dos mais valiosos aos mais básicos, seguir os seus conselhos já não é assim tão simples. Exige, para começar, uma forte dose de contenção em relação ao futuro do nosso planeta e, claro, também de vontade para mudar de hábitos. E é precisamente neste segundo aspeto que esta francesa é uma verdadeira perita, tanto que conseguiu converter os seus conselhos num livro: “Desperdício Zero, Simplifique a sua vida reduzindo o desperdício em casa”. Um guia doméstico que já foi traduzido para 20 línguas e que chegou a ser um bestseller em vários países. Uma prova, assegura Johnson, de que o tema da redução de resíduos em casa interessa (e muito), “ainda que, no início, se tenham rido de nós”. Quando fala no plural, Johnson refere-se à sua família, que se converteu no seu aliado mais forte e com quem protagoniza fotografias e vídeos, tanto no Instagram como no Youtube, onde acumula subscritores e centenas de milhares de visualizações.Cada um de nós gera cerca de 1,5 kg de resíduos diariamente. Cerca de 440 kg anualmente. Chamamos resíduos a tudo aquilo que acaba no lixo ou na incineradora sem possibilidade de ser reciclado. Quase meia tonelada de embalagens de plástico, peças, bolsas, latas, pilhas, aparelhos eletrónicos, etc. Segundo um relatório do Banco Mundial, publicado em 2016, em todo o mundo produzimos cerca de 1300 milhões de toneladas por ano. Um número que não para de crescer e que se poderá tornar insustentável se não fizermos algo para o evitar rapidamente. Obviamente que são necessárias medidas políticas públicas e uma consciencialização por parte das grandes empresas – os gigantes da alimentação, por exemplo, oferecem, atualmente, soluções de compromisso para reduzir as embalagens plásticas – para reverter esta tendência. Mas também é certo que o que cada um faz em casa pode ajudar muito. E é aqui que entram em jogo as práticas que Bea Johnson tem desenvolvido desde há uma década. O resultado, segundo a própria no seu website, é chamativo: todos os resíduos gerados pela sua família ao longo ano cabem num frasco de vidro. Ao vermos as centenas de sacos que cada um de nós deposita no lixo, damo-nos conta de que, pelo menos, vale a pena escutar o que Johnson nos quer propor. Porque o que nos propõe é do nosso interesse.O método Desperdício Zero que a autora francesa propõe resume-se a cinco regras: Rejeitar (“esta é a mais importante, aprender a dizer não àquilo que não precisamos”), Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Compostar. Há dez anos que a sua família segue estas regras e parecem funcionar bem: “Concentramo-nos em ser, em vez de ter”, diz Johnson.

DN Ócio

Kanazawa: favas com ouriço e uma viagem ao Japão com o chef Paulo Morais

Quando se entra no pequeno restaurante de oito lugares ao balcão, atrás do qual Paulo Morais prepara os pratos a servir, é como se se viajasse até ao país que inventou a cozinha kaiseki, extraordinária de tão sofisticada e tão simples. A experiência vale cada cêntimo. Texto de Catarina Pires Favas com ouriço assado e espuma de água do mar. Foi com este amuse-bouche, ou sakizuke, acompanhado de um sake levezinho que o paladar se deixou conquistar para os oito pratos seguintes do menu deste mês naquele que chamam de «o japonês mais exclusivo de Lisboa». Paulo Morais detesta favas, [...]

Le Monumental: o hotel das estrelas no centro do Porto

Um edifício emblemático numa das principais praças da cidade do Porto. Local (quase) idílico para o novo hotel de cinco estrelas que desde novembro está em plena Avenida dos Aliados. Lá dentro há mais estrelas, um chef francês candidato à distinção Michelin. Texto de Filipe Gil Depois de anos ao abandono, o número 151 da avenida dos Aliados, no Porto, teve obras de recuperação que ao fim de três anos deram lugar ao Le Monumental Palace, o primeiro hotel dos franceses da Maison Aibar em Portugal. Aberto em finais de novembro do ano passado, no chamado soft opening - que [...]

Lampreia e galeotas: ingredientes sazonais do novo menu do The Yeatman

O restaurante gastronómico do The Yeatman, em Vila Nova de Gaia, é o único com duas estrelas Michelin no norte de Portugal. Ricardo Costa, chef que liderada a cozinha deu-nos a conhecer as novidade do menu sazonal recentemente apresentado. Texto de Ana Isabel Pereira/ V Lampreia, galeotas - um produto específico de Aveiro -, lampreia, ouriço-do-mar e leitão são alguns dos ingredientes trabalhados pela equipa de Ricardo Costa. Veja o vídeo para conhecer as novidades.


Wholesale NHL Jerseys Wholesale jerseys Replica Soccer Jerseys Wholesale NCAA jerseys Cheap Wholesale NFL Jerseys USA Top Selling NBA Jerseys Bu9'er We Share News Off the World Wholesale Mlb Jerseys Pitty's News AIR's duck All Sports Share News